14.11.08

listening to: girl - beatles

me vinha com um sorriso no rosto, desses que tem malícia.
sorriso desses, que ilumina.
dizia palavras bonitas, com ar de coisa decorada.
que me encantava. cheiro de roupa limpa e pele branquinha;
banheiro esfumaçado. e o cabelo molhado, jogado na cara, de pau.
dias homem, dias menino, dias moleque, todos os dias, meu.
eu quase me acostumei com a sua mania de me ler inteira.
como se fossemos dados de 1 00 101 1001 de algum computador empoeirado.
abre seus braços pra que eu passe as oito horas ali. enquanto a cidade acorda. a gente dorme;
é sempre assim quando eu to por lá.
parece que nada de ruim vai me acontecer.
eu sinto como se todo o mal que existe nesse mundo imenso, fosse devolvido aos seus remetentes. o bem que eu sinto, é tamanho, e ninguém pode imaginar, como as coisas mudam em tão pouco tempo.

passam se dias, horas, minutos, e essa coisa que eu sinto não passa. veio e ficou. como um parasita que gruda no corpo do hospedeiro. eu gosto do cheiro de desodorante com a embalagem antiga que voa pelo quarto quando a cidade começa a fechar seus olhos.
tem coisas na vida, que são por um tempo. outras, por dois tempos. por três... quatro tempos.
a nossa, eu quero que seja por vários dos tempos, e alguns três tempos a mais.
eu não quero ser a pessoa que você mais ama nesse mundo, porque eu não gosto de fardos pesados.
eu não quero ser a pessoa que você acredita ser sua outra metade, porque na lógica um e um são dois. e sim, eu sou racional.
não preciso ser o quadril mais reboloso dentro de um jeans.
eu não quero ser porra nenhuma na sua vida.
eu só quero mesmo, que você fique. aqui, ali, onde quer que seja.
mas, com nossos dedos entrelaçados.

luv.

Um comentário:

phpetry disse...

nossa amor, q coisa mais bonita
so podia mesmo, saindo e ti...
cada dia me surpreendo com tua pessoa
beijos