29.6.08

irreversível

eu quase me esqueço que tem que funcionar do seu jeito.
quase me esqueço do seu egoísmo irreversível.
eu jurei pra mim mesma que dessa vez seria diferente.
e vai ser.

como será que eu tenho que amarrar os meus sapatos pra enfrentar a suas pixações nos muros por ai?
qual é a receita pra eu segurar a sua mão e só eu?
do you have to let it linger?
são exatamente 09:45 da porra da manhã de domingo.
e nada, absolutamente nada, mudou.

seus olhares fixos ainda estão marcados aqui.
e as suas atitudes... essas sim, são irreversíveis.
eu não choro mais.
acredito no que dizem por ai.
e não... essa história não acaba aqui.
não.

Um comentário:

Gabe disse...

não mesmo!
(l)