24.9.09

primavera

eu não gosto de bom gosto, não gosto de bom senso, não gosto de bons modos.
aguento até os caretas, e suas verdades perfeitas.
não ligo para etiqueta, aplaudo rebeldias, não condeno as mentiras, não condeno vaidade.
o que eu não gosto, é de bons modos.

_


opa, lá vem ela.
menina branca. menina primavera. mulher desenhada. poetisa dos olhos tatuados. garotinha das respostas prontas.
ela não se move, ela só espera. sentada em sua cadeira alta, confortável, colorida.
ela não erra. egoísta.
sabe que é linda, se mantém na pose. não desce do salto.
não balança o cabelo. sapatão.
sorriso lindo, rosto enfeitado de sardinhas.
linda. completamente linda.

- às 8.

{síntese.}

Um comentário:

_viiih disse...

ela espera de longe, como se estivesse tentando se esconder,
se aproxima.
não sabe que palavras usar, vacila.
esconde-se por detrás de um rosto impassível e frases maduras,
mas no fundo treme.
envergonha-se com facilidade quando entro em seu território mas sempre joga o jogo que quiser jogar.
ela está em minha frente, com os cabelos desarrumados e o lindo sorriso desenhado no rosto.
tem a capacidade de decifrar-me, terá mesmo?
isso também está para ser decifrado.

a garota desconhecida, a bela misteriosa..
e que beleza que ela tem...
e que poeta!

encantaria a garota primavera.. será que poderia?