29.9.09

contrário do dito, do escrito, do lido ...

... do visto - nos - seus - olhos - cor - de - mel - esverdeado .


olha que coisa mais linda mais cheia de graça.
acha que eu to pronta pra cada uma das suas desculpas mal feitas.
mal moldadas.
nunca houve necessidade intensa de faze-las bonitas, pintadas de algo que dê, no mínimo, pra acreditar.
ai chega eu, no meio da sua historia de quadrinhos sem cor. tentando fazer tudo ficar diferente.
tentando consertar seus passos.
sem nem te perguntar o que você pensa sobre isso.
vai ver, a errada sou eu mesmo. a menina dos olhos não verdes é que pisou no território de areia movediça, e tá se afogando no meio do nada que existe por aqui.
se eu fizer, me arrependo. se não fizer, também.
já pensei em usar de meias verdades, meios caminhos, pegar minha máscara que eu passei a deixar em casa na esperança inútil e burra de que um dia, o ser humano iria se olhar no espelho sem ter vergonha de ser tão meio.
eu sou rápida, extremista, escritora, sonhadora, turista do mundo, eu sou minha.
e a máscara eu vou deixar lá. os jogos parei de jogar.
quero lua grande e bonita, cabelos ao vento, na noite de verão mais bela, com um rosto que eu nunca vá esquecer.
não tenho mais 15 anos, skate e maconha no bolso.
vai ver, eu que sou a louca, que grita, xinga, e desliga o telefone sem esperar o retorno.
eu que não compreendo e tento passar por cima dentro de um espaço que nem se quer, é meu.
mas eu decidi, se eu for pesada de mais, pra esse mínimo todo.

eu to saindo.

Um comentário:

_viiih disse...

Esse rock antigo ainda está parecendo um heavy metal desengonçado.
Só depende da gente.